27 de outubro de 2014

Marconi Perillo responde perguntas de telespectadores

O governador reeleito Marconi Perillo (PSDB) esteve na tarde desta segunda-feira (27), no Jornal Anhanguera 1ª edição, para responder as perguntas dos telespectadores.

Veja abaixo alguns temas citados pelo governador.

 

Drogas
Marconi disse que já foram apreendidos mais de 30 mil kg de droga durante seu governo e que também trabalha com casas de recuperação para ajudar os dependentes. “Ainda tem o Credeq (Centro de Referência e Excelência em Dependência Química), pretendemos chegar a 10 em todo o Estado. Será semelhante a excelência do Crer” afirmou Marconi.

 

Hospital/Maternidade
O governador falou que todos têm sua parcela de responsabilidade. “Os governos municipal, estadual e federal dividem essa responsabilidade, cada um com sua obrigação. No caso de Formosa, é de responsabilidade do município, mas o governo do Estado pode ajudar”.

 

Estradas
Marconi disse que a privatização e cobrança de pedágio não está em sua pauta. “As rodovias federais que cortam Goiás foram privatizadas. É uma questão que tem que discutir. Prefiro que não tenha pedágio”, afirmou Perillo.

 

Obras
O governador falou sobre o número de obras no seu governo. “Vou terminar todas as obras iniciadas e evitar fazer novas construções enquanto as outras não estiverem prontas”.

 

Cargos Comissionados
Marconi ainda falou sobre o alto número de cargos no Estado.  “Dos 10 mil cargos comissionados, três mil já foram eliminados. Vamos diminuir mais”.

 

Relação com prefeitos da oposição
O governador assegurou que tem um bom relacionamento com os prefeitos da oposição. “A relação é a melhor possível. Em Anápolis, quando Antônio Gomide (PT) era prefeito e agora também com João Gomes (PT) sempre tivemos e temos ainda um bom relacionamento. Com Maguito Vilela (PMDB) em Aparecida, tenho um relacionamento republicano. Vamos continuar as parcerias”.

 

Experiência
Marconi diz estar mais preparado aos 51 anos e prestes a iniciar seu quarto mandato como governador. “Diferente de 1999 quando assumi pela primeira vez o governo do Estado, hoje conheço a máquina pública e estou mais experiente”.